quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Uma Carta Especial para Você

Amado (a) Irmão (a) em Cristo

Agradeço a Deus pela sua vida que tem feito a diferença neste mundo sedento do Senhor Jesus Cristo que é o socorro bem presente em nossas vidas. Sabemos da importância da Palavra na transformação de vidas. Por isso temos que trabalhar pelo direito daquele ao qual ninguém quer saber e nem auxiliar, porque é pequeno, excluído ou discriminado. E qual são o nosso propósito e pretensões nisto? Acabar com estas discussões, desuniões, e brigas entre o povo que foi escolhido e ao qual deveriam se unir, fazendo a mudança para o qual foi chamado. Lutar para que existam valores éticos e morais entre as Igrejas e Ministérios, a muito esquecidas em um passado remoto, para que aja um diferencial, e mostrar realmente, o verdadeiro cristão que somos acabando com a exclusão e o preconceito que até hoje existe em nosso meio quando um homem de Deus esta sem Ministério ou passando por necessidades. Existe uma Corrente do Mal em várias esferas, mas, em nosso meio, parece estar tomando grandes proporções a cada dia, para que venha a desmoralizar e destruir aquele que realmente luta para que a obra seja feita de fato e de verdade, modificam as palavras e falam daquilo ao qual não existe, além de fazerem aquilo ao qual Deus não mandou, destruindo vidas por ciúme, inveja e ganância, esquecendo que nossa luta é contra as potestades principados e dominadores que querem impedir o verdadeiro e santo evangelho de ser pregado. Trabalhar em defesa do oprimido, ter uma união maior, auxiliar um ao outro, sem cobrar nada, levantar o caído e ter a certeza de um mundo melhor. Só basta uma atitude real de carinho e amor a cada dia, e isto depende de cada um de nós. E conto com você, para fazer parte desta luta. Um abraço, com carinho, deste apenas servo, o menor da casa do Pai, sincera e fraternalmente,


Dom Josimar Magalhães de Brito

O Verdadeiro sentido da vida é viver os melhores momentos, constantemente. (Josimar Magalhães de Brito)

sábado, 9 de abril de 2011

As 12 vítimas do massacre em escola do Rio de Janeiro


Atirador que invadiu escola no Rio de Janeiro matou 12 alunos da escola Tasso da Silveira. Saiba um pouco mais sobre as vítimas
(iG Rio de Janeiro | 08/04/2011 20:25)


Ana Carolina Pacheco da Silva, 13 anos -
 Maria Madalena, avó de Ana Carolina, se emocionou ao passar em frente ao vaso de flores com o nome da neta “Tchau, minha netinha, tchau”. A menina ia para a escola sempre contente, segundo ela.
Bianca Rocha Tavares, 13 anos - Tinha uma irmã gêmea que também foi baleada pelo atirador. Sonhava em ser pediatra e morreu ao tentar salvar uma amiga, segundo relatos de amigos de classe. A avó lembrou que ela era vaidosa. “Era linda, gostava muito de ir à escola, tinha o cabelo comprido e cuidava dele com carinho”, afirmou Maria José dos Reis Rocha, de 59 anos.
Géssica Guedes Pereira, 15 anos - Estudiosa, Géssica participava um curso preparatório para entrar na Marinha. Ela jogava vôlei na escola e era fã de funk.
Igor Moraes da Silva, 13 anos - Sonhava em ser jogador de futebol. O amigo Douglas Ramaro lembrou que o menino estava feliz no dia em que morreu. O motivo: havia ganhado uma chuteira de presente. No seu enterro, Roberto Dinamite, presidente do Clube Vasco da Gama, compareceu. Igor era aluno da escolinha de futebol do clube.Karine Lorraine Chagas de Oliveira, 14 anos - Karine queria ser atleta e integrava uma equipe de salto em distância de um projeto para jovens da polícia militar desde o início deste ano.
Larissa dos Santos Atanásio, 13 anos - Torcedora do time de futebol Vasco da Gama e religiosa, Larissa era também muito vaidosa. Já havia feitos desfiles e sonhava com a passarela. "Ela era sempre muito alegre e amiga. Conversava sempre com todo mundo. Tirava boas notas e queria seguir o sonho de ser modelo”, afirmou a amiga Jéssica Ferreira.
Laryssa Silva Martins, 13 anos - Segundo parentes, Laryssa era reservada e não saía muito de casa. Apesar disso, vários amigos compareceram ao seu enterro. No seu perfil no Orkut, a jovem mostrava que era fã de fotografias e sempre estava sorrindo nas fotos.
Luiza Paula da Silveira, de 14 anos - Fã de Ivete Sangalo, Luiza foi enterrada sob o canto de sua música preferida da cantora, “Quando a Chuva Passar”. Ela estava no 8º ano do Ensino Fundamental e se preparava para a festa de aniversário de 15 anos, que seria em setembro. “O pai já havia pago tudo e ela iria escolher o vestido na próxima semana", contou a amiga Jéssica Lauane.
Mariana Rocha de Souza, 12 anos - Um helicóptero da Polícia Civil jogou pétalas de rosa sobre o cemitério em que Mariana Rocha de Souza foi enterrada nesta sexta-feira. A menina, estudiosa, planejava ser modelo e sempre fazia poses para as fotos. O irmão dela, de 9 anos, estava na escola no dia do massacre e correu para procurá-la, mas a encontrou já na ambulância.
Milena dos Santos Nascimento, 14 anos - Estava no 6° ano do Ensino Fundamental da Escola Tasso da Silveira. Tinha duas irmãs que também estudavam na unidade de ensino, mas nada sofreram. De acordo com amigos, Milena era muito estudiosa e não faltava a nenhum dia de aula.
Rafael Pereira da Silva, 14 anos - Calmo, tranquilo e estudioso. Foi assim que vários amigos o definiram. Gostava de rock e era fã da banda Linkin Park. Ele foi um dos dois meninos mortos pelo atirador. Era aluno do 9° ano da Escola Municipal Tasso da Silveira.
Samira Pires Ribeiro, 13 anos - No site de vídeos Youtube é possível encontrar uma homenagem a Samira, que estava no 8º ano. Com a descrição “Foi Entregue nas Mãos de Deus!! Mais um Anjo”, o vídeo começa com uma imagem do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, e a mensagem “Luto”.

sábado, 26 de março de 2011

O VAZIO DA JUSTIÇA HUMANA

“Julgai pela manhã justamente e livrai o espoliado da mão do opressor; para que não saia o meu furor como fogo e se acenda, sem que haja quem o apague, por causa da maldade de vossas ações”. (Jeremias cap.21 vers.12).
Deus permitiu sistemas de justiça humanos para deter, conter e disciplinar os malfeitores. Esses sistemas sempre começam com uma confrontação judicial que envolve testemunhas de defesa e de acusação, bem como profissionais qualificados (juízes, advogados e promotores), que compõem as cortes seculares. O Senhor nos permite a buscar a justiça de maneira intrépida pelas instituições legais à nossa disposição, independente do quão ineficazes ou insatisfatórios possam ser.
O senso de justiça inerente a cada um parece manifestar-se de maneira mais intensa durante a pré-escola, época em que as palavras “isso não é justo !” são exaustivamente repetidas. Qual será a origem desse sentimento ???
Como seres humanos, fomos criados à imagem de Deus. Isso significa que refletimos alguns atributos dele, embora de modo restrito. O Senhor é onisciente, mas nós possuímos um conhecimento limitado. Ele é todo-poderoso, mas dispomos de um poder finito. O Eterno é onipresente, manifestando-se em cada parte do universo, mas nossa existência se restringe a uma porção delimitada do espaço e do tempo. Pode-se dizer o mesmo acerca da nossa disposição emocional.
Na Idade Média, muitos teólogos postulavam que Deus era impassível, isto é, não sofria, não se alegrava; Ele simplesmente não experimentava nenhuma emoção. Vários teólogos modernos refutaram esse tipo de pensamento usando a palavra altamente técnica, embora ainda acessível, nonsense, incoerência.
“O Senhor, teu Deus, está no meio de ti, poderoso para salvar-te; ele se deleitará em ti com alegria; renovar-te-á no seu amor, regozijar-se-á em ti com júbilo”. (Sofonias cap.3 vers.17).
“E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção”. (Efésios cap.4 vers.30).
Na Bíblia Sagrada, as Escrituras são claras quanto ao fato de o Espírito de Deus se deleitar e regozijar-se com Seu povo, além de sofrer quando esta peça. Certamente, Jesus sentiu compaixão, tristeza, frustração, entusiasmo, desprezo e gratidão. Resta alguma dúvida de que o Senhor já esteve irado ???
Ao que parece, achar que Deus esconde Seus sentimentos sobre certas coisas é uma idéia difícil de sustentar. Então, não é incorreto se recusar de modo categórico o conceito de que o Senhor seja livre de emoções. Na verdade o fato de Deus ser perfeitamente emocional é que faz com que possamos ter qualquer sentimento, porque fomos criados á Sua imagem e, por isso, refletimos o que Ele é – de forma finita, limitada e muitas vezes equivocada.
Um dos sentimentos primários que refletimos da imagem de Deus é o desejo irresistível de que a justiça se cumpra. Em (2 Tessalonicenses), o apóstolo Paulo nos lembra que o Senhor não apenas se preocupa com a justiça, mas que a equidade jurídica é uma expressão da Sua própria essência. Assim como “Deus é amor”, (Ele também é justiça), por isto não deixará a boa ação sem recompensa, nem a má ação sem punição, porque faz parte do Seu caráter garantir que isso aconteça.
A ponta do Seu dedo sustenta o epicentro da balança cósmica da justiça. No final, os pratos dessa balança terão de ser perfeitamente equilibrados, e serão.
Porque Deus é justo, e refletimos esse atributo dele em nossa imagem limitada da Sua essência, toda injustiça que testemunhamos ou experimentamos nos causa revolta e desconforto. Algo em nós diz “isso não pode ficar assim; atos como esse não podem passar em branco; a pessoa que cometeu essa atrocidade tem de pagar”. Deus diz o mesmo.
As pessoas muitas vezes são impelidas a praticar a justiça pelas próprias mãos (isto é, a vingar-se) porque lhes falta a certeza de que ela será feita em seu favor. Também agem assim porque não têm paciência para esperar um julgamento, pois, mesmo no caso de o juízo ser executado, pode não ser feita a justiça de maneira satisfatória. Eis a razão pela qual uma confiança cada vez maior na justiça de Deus é absolutamente crucial para que o perdão genuíno seja liberado.
Quando temos absoluta confiança de que Deus fará justiça, descartamos a hipótese de que o perdão possa pôr em risco nosso senso de dignidade, ou de que o comportamento ímpio daqueles daqueles que nos feriram acabe sendo revelado.
Depois de motivar-nos e equipar-nos emocionalmente para perseguir a justiça, o Senhor nos instrui diversas vezes nas Escrituras a fazer a coisa certa. Vamos citar duas:
“Aprendei a fazer o bem; praticai o que é reto; ajudai o oprimido; fazei justiça ao órfão; tratai da causa das viúvas”. (Isaías cap.1 vers.17).
“Aborrecei o mal, e amai o bem, e estabelecei o juízo na porta; talvez o SENHOR, o Deus dos Exércitos, tenha piedade do resto de José”. (Amós cap.5 vers.15).
A justiça humana, se buscada corretamente, funciona como um inibidor para o mal.
Os noticiários e jornais sensacionalistas parecem não falar de outra coisa senão de guerras e crimes por todo o mundo. Contudo, esses fatos sequer seriam dignos de nota, se as autoridades constituídas estivesem mesmo a serviço de Deus e fossem portadoras da espada para castigar o que faz o mal. Cada assalto cometido, quantos outros não ocorrem graças às perspectivas de punição e retribuição despertadas por autoridades bem preparadas ???
Além de representar um meio intimidador da maldade, a justiça humana também pode atuar como veículo de correção, desciplina e restituição. Quando os demais recursos falham, só a punição apropriada, executada por aqueles que têm autoridade para tal, pode quebrantar os corações endurecidos e provocar arrependimento genuíno.
QUE DEUS TE ABENÇÕE...

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

AS PERTUBAÇÕES FINANCEIRAS

Chéques, faturas, IPVA, vergonhas, frustrações, tensões, suprimentos, preocupações, descontentamentos, ingratidões, iras, impaciências, ansiedades, desonestidades, permições, exessos de trabalho, avaliações, atitudes, métas espirituais, quitações, gratidão, contentamento, sobriedade, honestidade, deligência, espiritualidade, altruísmo, humildade, limites, orçamentos, ganhar mais e gastar menos.

A Bíblia ensina-nos como enfrentar muitas situações diferentes na vida, incluindo as dificuldades financeiras. A chave para enfrentar problemas financeiros está na atitude da pessoa. Para responder bem precisamos permitir que a palavra de Deus opere em nosso coração e mude nosso modo de ver as coisas.

AS ATITUDES.

Gratidão: Paulo insiste em que sejamos gratos. Precisamos estar “… transbordando de gratidão” (Colossenses cap.2 vers.7).

“Dêem graças em todas as circunstâncias…” (1 Tessalonicenses cap.5 vers.18). Não devemos nos queixar nem sentir pena de nós mesmos, mas antes devemos considerar cuidadosamente todas as razões que temos para sermos agradecidos e louvar a Deus por suas bênçãos a nós. Os israelitas no deserto estavam se queixando constantemente, mas tinham se esquecido da grande libertação que Deus lhes tinha dado havia apenas pouco tempo. Temos que atentar para o que o Senhor nos tem dado e não para as coisas que não temos.

Contentamento: “Conservem-se livres do amor ao dinheiro e contentem-se com o que vocês têm, porque Deus mesmo disse: ‘Nunca o deixarei, nunca o abandonarei". (Hebreus cap.13 vers.5). A presença de Deus com seu povo deveria dar tanta alegria e segurança que poderíamos facilmente nos contentar com qualquer padrão de vida. Paulo estava contente na fome ou na abundância:

"Alegrei-me, sobremaneira, no Senhor porque, agora, uma vez mais, renovastes a meu favor o vosso cuidado; o qual também já tínheis antes, mas vos faltava oportunidade. Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez. Tudo posso naquele que me fortalece." (Filipenses cap.4 vers.10, 11, 12 e 13).

Por outro lado, as Escrituras estão repletas de advertências contra a ganância e a avareza. "Então, lhes recomendou: Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui." (Lucas cap.4 vers.15).

Por qualquer razão, nunca parecemos reconhecer o desejo desordenado por coisas em nossas próprias vidas. Pensamos que todas as coisas que queremos são necessidades e que a dívida que acumulamos ao buscar adquiri-las é perfeitamente aceitável. Poderia ser que poucos de nós admitem a ganância em nossas vidas porque nos cegamos e deixamos de perceber o verdadeiro estado de nosso coração? Paulo exortou: “Por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos” (1 Timóteo cap.6 vers.8). Estamos satisfeitos somente com isto ???

Sobriedade: Muitos textos nos exortam a sermos sóbrios.

"Assim, pois, não durmamos como os demais; pelo contrário, vigiemos e sejamos sóbrios. Nós, porém, que somos do dia, sejamos sóbrios, revestindo-nos da couraça da fé e do amor e tomando como capacete a esperança da salvação." (1 Tessalonicenses cap.5 vers.6 e 8).

"Por isso, cingindo o vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que vos está sendo trazida na revelação de Jesus Cristo." (1 Pedro cap.1 vers.13).

"Ora, o fim de todas as coisas está próximo; sede, portanto, criteriosos e sóbrios a bem das vossas orações." (1 Pedro cap.4 vers.7).

"Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar." (1 Pedro cap.5 vers.8).

A pessoa sóbria encara os fatos e não deixa seus desejos colorirem sua percepção da realidade. Muitas pessoas tratam das finanças num mundo de sonho, sempre imaginando que tudo dará certo magicamente. Mas fugir de um problema ou negá-lo não ajuda e não está de acordo com o caráter de Cristo. Temos que reconhecer nossa situação atual, não importa quão triste seja, e ser “homens de coragem”.

"Sede vigilantes, permanecei firmes na fé, portai-vos varonilmente, fortalecei-vos." (1 Coríntios cap.6 ver.13).

Ignorar os problemas não os extingue. Lutas financeiras não desvanecem sem mais nada, mas precisam ser resolvidas por disciplina séria e perseverante.

Honestidade: A honestidade é parte do caráter cristão:

"Pois o que nos preocupa é procedermos honestamente, não só perante o Senhor, como também diante dos homens". (2 Coríntios cap.8 vers.21)

"A serem sensatas, honestas, boas donas de casa, bondósas, sujeitas ao marido, para que a palavra de Deus não seja difamada." (Tito cap.2 vers.5).

Pessoas honestas aceitam suas limitações financeiras e não tentam ser uma coisa que não são, vivendo num estilo de vida que suas condições não permitem. Pessoas honestas admitem que há muitas coisas que outras em torno delas têm ou podem fazer que elas não podem porque não têm dinheiro suficiente para isso. E pessoas honestas não fazem dívidas que não têm capacidade para pagar. "A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama o próximo tem cumprido a lei." (Romanos cap.13 vers.8).

Diligência: Algumas vezes, porém nem sempre, os problemas financeiros resultam da preguiça.

“Tirando uma soneca, cochilando um pouco, cruzando um pouco os braços para descansar, a sua pobreza o surpreenderá como um assaltante, e a sua necessidade lhe sobrevirá como um homem armado.” (Provérbios cap.6 vers.10 e 11.).

“Por causa da preguiça, o telhado se enverga; por causa das mãos indolentes, a casa tem goteiras.” (Eclesiastes cap.10 ver.18).

Problemas financeiros devem ser esperados quando nos mimamos com descanso e sossego, e não trabalhamos esforçadamente. Um homem deve sustentar sua família. "Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente." (1 Timóteo cap.5 vers.8), mesmo que isso possa envolver trabalho difícil ou empregos desagradáveis, ou mesmo se o trabalho disponível é relativamente mal pago.

Espiritualidade: Precisamos manter nosso foco principal em Cristo, não em coisas materiais. “Ninguém pode servir a dois senhores: pois odiará um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro." (Mateus cap.6 vers.24).

"Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas” (Mateus cap.6 vers.33).

Nossas posses, nossa posição e nosso sucesso nesta vida são matérias insignificantes para o verdadeiro cristão. Ele se vê como meramente passando através desta vida como um peregrino e portanto relativamente desinteressado nas suas condições. Ele nunca faz da prosperidade material uma meta séria.

"Indo eles caminho fora, alguém lhe disse: Seguir-te-ei para onde quer que fores". (Lucas cap.9 vers.57).

O homem espiritual percebe que seu dinheiro e sua posição financeira não são as coisas importantes da vida.

Altruísmo: O servo do Senhor está sempre buscando dar, em vez de gastar consigo mesmo. Ele vê o dinheiro que ganha trabalhando como uma bênção que ele pode aplicar servindo a outros: “O que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo algo de útil com as mãos, para que tenha o que repartir com quem estiver em necessidade” (Efésios cap.4 vers.28). Discípulos verdadeiros vêem a prosperidade material não tanto como algo para si mesmos, mas como algo útil para servir outros. "Deus pode fazer-vos abundar em toda graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, ampla suficiência, superabundeis em toda boa obra." (1 Coríntios cap.9 vers.8). Enquanto o cristão for egoísta, ele sempre sentirá frustrações ao lidar com assuntos financeiros.

Humildade: A humildade para admitir enganos e buscar corrigi-los é básica. Muitos de nós temos tido atitudes impróprias e não temos administrado bem nosso dinheiro. Nunca mudaremos até que admitamos que temos estado errados. Precisamos também ter a humildade de examinarmo-nos à luz da palavra de Deus e fazer as coisas que aprendermos.

"Portanto, despojando-vos de toda impureza e acúmulo de maldade, acolhei, com mansidão, a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar a vossa alma. Tornaei-vos, pois praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Porque, alguém é ouvinte da palavra e não praticante, assemelha-se ao homem que contempla, num espelho, o seu rosto natural. Pois a si mesmo se contempla, e se retira, e para logo se esquece de como era a sua aparência." (Tiago cap.1 vers. 21 ao 24).

Esta seria uma boa hora para parar de ler este artigo e rever as oito atitudes que precisamos ter e tentar honestamente avaliar-nos e resolver mudar nossa atitude nas áreas necessárias. Como Deus nos vê em cada uma destas atitudes ???

Mudanças Específicas

As coisas específicas que precisamos fazer ao lidar com problemas financeiros dependem de nossa mudança e adoção das atitudes mencionadas acima. Sem perspectivas corretas, os passos seguintes terão pouca validade.

1) Avalie honestamente sua situação. Encare os fatos. Talvez ajudasse pegar uma folha de papel e lançar todas as suas dívidas e anotar os valores de todas. Então, lançar sua renda e suas despesas mensais. Qual é, exatamente, sua situação financeira.

2) Comece a pagar suas dívidas. “Não devem nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros…” (Romanos cap.13 vers.8). Calcule quanto dinheiro por mês é necessário para pagar todos os juros e, também, comece a pagar o principal (o valor original do empréstimo, antes do acréscimo de juros). Se suas prestações e obrigações mensais forem mais do que tem disponível no orçamento da família, ha três coisas que poderia fazer de modo a ter dinheiro para pagar as dívidas:

Gastar menos. Quando for necessário, as despesas podem ser reduzidas às mínimas necessidades de comida e lugar para viver.

"De fato, grande fonte de lucro é a piedade com o contentamento. Porque nada temos trazido para o mundo, nem coisa alguma podemos levar dele. Tendo sustento e com que nos vestir, estamos contentes. Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição. Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores." (1 Timóteo cap.6 vers.6 ao 10).

Ganhar mais. Às vezes há oportunidades para trabalhar mais horas, ter um segundo emprego, ou encorajar os filhos adolescentes ou adultos que estejam vivendo no lar a trabalharem. Vender coisas. Os cristãos primitivos vendiam casas e terras para aliviar as necessidades de seus irmãos.

"Da multidão dos que creram era um o coração e a alma. Ninguém considerava exclusivamente sua nem uma das coisas que possuia; tudo, porém, lhes era comum. Com grande poder, os apóstolos davam testemunho de ressureição do Senhor Jesus, e nem todos eles havia abundante graça. Pois nenhum necessitado havia entre eles, porquanto os que possuíam terras ou casas, vendendo-as, traziam os valores correspondentes e depositavam aos pés dos apóstolos; então, se distribuía a qualquer um á medida que alguém tinha necessidade." (Atos cap.4 vers. 32 ao 35). Certamente não é irracional esperar que um discípulo de Cristo venda coisas para poder pagar o que deve.

3) Viva dentro dos limites de seu orçamento. A Bíblia adverte sobre a loucura de fazer dívidas: “O rico domina sobre o pobre; quem toma emprestado é escravo de quem empresta”. (Provérbios cap.22 vers.7). A escravidão aos credores é muito penosa; é melhor esperar pacientemente e comprar somente aquelas coisas que se pode pagar.

4) Comece a aplicar sua renda no sentido de metas espirituais. Temos que chegar a ver tudo o que temos como pertencendo ao Senhor e começar a usar nossos recursos para servi-lo. O Novo Testamento exorta-nos a dar generosa e abundantemente.

"Pois os conheceis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, se fez pobre por amor de vós, para que, pela sua pobreza, vos tornásseis ricos". (2 Coríntios cap.8 vers.9). Conquanto seja verdade que não estamos mais obrigados ao dízimo, não devemos usar isso como uma desculpa para sovinice. Não devemos permitir que nossa oferta seja diminuída pela avareza. "Portanto, julguei conveniente recomendar aos irmãos que me precedessem entre vós e preparassem de antemão a vossa dádiva já anunciada, para que esteja pronta como expressão de generosidade e não de avareza." (2 Coríntios cap.9 vers. 5).

Conclusão.

Em todas as áreas da vida, a palavra do Senhor nos fornece a orientação perfeita. Da mesma maneira, no campo financeiro devemos dar ouvidos à sabedoria de Deus revelada na Bíblia. Quando obedecemos os mandamentos do Senhor, recebemos tanto “a promessa da vida presente” como a da vida “futura”.

"Fiel é esta palavra e digna de inteira aceitação. Ora, é para esse fim que lebutamos e nos esforçamos sobre modo, porquantotemos posto a nossa esperança no Deus vivo, Salvador de todos os homens, especialmente dos fiéis." (1 Timóteo cap.4 vers.9).

Que sigamos estas instruções!

QUE DEUS TE ABENÇÕE...

A OBEDIÊNCIA PARA MÃES E FILHOS

Em (Efésios cap.6 vers.1-4), Paulo diz: "Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, pois isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa), para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra. E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai_os na disciplina e na admoestação do Senhor."

Nesses versículos, encontramos instruções dirigidas aos filhos e aos pais. A base desses mandamentos já foi dada em (Efésios cap.5 ves.21): "...sujeitando-vos, uns aos outros no temor de Cristo". Os filhos precisam se sujeitar aos pais, sendo obedientes a eles. Os pais, também, servem aos filhos, criando-os e corrigindo-os com amor.

Quando estudamos esses primeiros versículos de (Efésios cap.6), é fácil esquecer de um versículo importante: "Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa)". Muitos filhos respeitam o pai. Quando ele fala, eles ouvem. Os filhos baixam as cabeças para ouvir, com respeito e até vergonha, as palavras de correção que vêm do pai. Mas, quando a mãe corrige as atitudes dos filhos, são diferentes. Por quê, se o versículo diz honrar pai e mãe? Vamos pensar um pouco mais sobre esse segundo aspecto do mandamento.

"Honra a teu pai e a tua mãe e amarás o teu próximo como a ti mesmo”. (Mateus cap.19 vers.19).

Jesus sabia que a honra para pai e mãe fazia parte da lei do Velho Testamento, que ele citou em (Mateus cap.19 vers.19). Pelo fato que o mesmo mandamento foi incluído no Novo Testamento, podemos perceber a importância desse princípio. Desde a criação, Deus pretendia que os filhos honrassem ambos os pais. Há um exemplo de tal honra implícito na história de Noé. No meio a um mundo corrupto, Noé e sua mulher criaram três filhos. Esses três, junto com suas esposas, entraram na arca com Noé (Gênesis cap.5 vers.32), e também vemos em(Gênesis cap.7 vers.13). Mesmo se mais ninguém acreditava na mensagem pregada por Noé, os próprios filhos honraram os pais.
“Era Noé da idade de quinhentos anos e gerou a Sem, Cam e Jafé”. (Gênesis cap.5 vers.32).

“Nesse mesmo dia entraram na arca Noé, seus filhos Sem, Cam e Jafé, sua mulher e as mulheres de seus filhos”. (Gênesis cap.7 vers.13).

O livro de Provérbios contém muitos conselhos sobre a obediência e honra aos pais. Às vezes, os textos destacam a honra devida à mãe, que é nossa ênfase neste artigo. "Filho meu, ouve o ensino de teu pai e não deixes a instrução de tua mãe. Porque serão diadema de graça para a tua cabeça e colares, para o teu pescoço". (Provérbios cap.1 vers.8 e 9).

As instruções que ouvimos da boca da mãe servem para nos guiar o resto da vida: "Filho meu, guarda o mandamento de teu pai e não deixes a instrução de tua mãe; ata_os perpetuamente ao teu coração, pendura_os ao pescoço. Quando caminhares, isso te guiará; quando te deitares, te guardará; quando acordares, falará contigo. Porque o mandamento é lâmpada, e a instrução, luz; e as repreensões da disciplina são o caminho da vida" (Provérbios cap.6 vers.20 ao 23).

O filho obediente traz alegria aos pais: "O filho sábio alegra a seu pai, mas o filho insensato é a tristeza de sua mãe". (Provérbios cap.10 vers.1). Podemos ver essa verdade na vida de muitas famílias. Quando os filhos se mostram rebeldes e insensatos, as mães sofrem, talvez mais do que qualquer outra pessoa.

“O filho sábio alegra a seu pai, mas o homem insensato despreza a sua mãe. A estúlticia é alegria para o que carece de entendimento, mas o homem sábio anda retamente. Onde não há conselho fracassam os projetos, mas com os muitos conselheiros há bom êxito”. (Provérbios cap.15 vers.20 ao 22).

Na nossa sociedade, há uma grande e triste tendência de desprezar os velhos. Muitos filhos negligenciam as necessidades dos pais ou até os abandonam em lares da terceira idade ou outras instituições, porque não querem assumir a responsabilidade deles.

Em (Provérbios cap.23 vers.22) diz: "Ouve a teu pai, que te gerou, e não desprezes a tua mãe, quando vier a envelhecer". Honra inclui a responsabilidade de fornecer as necessidades físicas dos pais.

“Porque Deus ordenou: Honra a teu pai e a tua mãe; e: Quem maldisser a seu pai ou a sua mãe seja punido de morte. Mas vós dizeis: Se alguém disser a seu pai ou a sua mãe: É oferta ao Senhor aquilo que poderias aproveitar de mim; esse jamais honrará a seu pai ou a sua mãe. E assim, invalidastes a palavra de Deus, por causa da vossa tradição”. (Mateus cap.15 vers.4 ao 6).

No Novo Testamento, encontramos duas mulheres que tiveram influência muito boa e importante na vida de um jovem. Timóteo, um evangelista bem respeitado, foi instruído desde a infância nas coisas de Deus. A avó dele (Lóide) e, depois dela, a mãe (Eunice) educaram Timóteo no caminho de Deus. "Pela recordação que guardo de tua fé sem fingimento, a mesma que, primeiramente, habitou em tua avó Lóide e em tua mãe Eunice, e estou certo de que também, em ti". (2 Timóteo cap.1 vers.5).

Muitas mães têm feito a mesma coisa, guiando os filhos ao Senhor pela palavra e pelo exemplo de vidas retas e dedicadas no serviço de Deus. Uma mãe dessas merece todo respeito e honra dos filhos.

“Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste e de que foste inteirado, sabendo de quem o aprendeste e que, desde a infância, sabes as sagradas letras, que podem tornar-te sábio para a salvação pela fé em Cristo Jesus”. (2 Timóteo cap.3 vers.14-15).

Vamos encerrar esta matéria com as palavras sábias de (Provérbios cap.23 vers.15 ao 20): "Filho meu, se o teu coração for sábio, alegrar_se_á também o meu; exultará o meu íntimo, quando os teus lábios falarem coisas retas. Não tenha o teu coração inveja dos pecadores; antes, no temor do SENHOR perseverarás todo dia. Porque deveras haverá bom futuro; não será frustrada a tua esperança. Ouve, filho meu, e sê sábio; guia retamente no caminho o teu coração. Não estejas entre os bebedores de vinho nem entre os comilões de carne."


QUE DEUS TE ABENÇÕE...

Quando você carrega uma Bíblia

Quando você carrega uma Bíblia,
Satanás fica com dor de cabeça...
Quando você abre a Bíblia,
Ele desmorona...
Quando ele vê você lendo a Bíblia,
Ele desmaia...
Quando ele vê você vivendo o que você lê,
Ele foge...
E quando você estiver a ponto de repassar esta mensagem . . .
Ele tentará desencorajar você . . .
Eu acabei de vencer estes obstáculos, pela Graça de Deus!
Alguém mais?
Um teste : Será que Deus
está em primeiro lugar em sua vida ?
Se estiver pare tudo
E observe o que Deus faz.
Amém!
(Leia mais...a Bíblia, e descobrirá coisas cincríveis para a tua vida! DEUS É
CONTIGO!)
A BÍBLIA NÃO ESTÁ LIGADA À RELIGIÃO:
simplesmente à DEUS E A VOCÊ! Pois fomos feito a
imagem e a semelhança do PAI!
Nosso Deus! Nosso Pai!
Dai GLÒRIA a tudo!!! Tenha um dia abençoado!!!!

Minha lista de blogs